Eu sou Atlântica: sobre a trajetória de vida de Beatriz Nascimento

eu_sou_atlantica.jpg

O livro  Eu sou Atlântica: sobre a trajetória de vida de Beatriz Nascimento, publicado pela Imprensa Oficial do Estado de São Paulo e Instituto Kuanza, de autoria de Alex Ratts, é prefaciado por Sueli Carneiro e se divide em duas partes. Na primeira – “Quantos caminhos percorro” – o autor dialoga com a obra publicizada e inédita de Beatriz Nascimento, por meio das temáticas e categorias da pesquisadora e a partir de pesquisa em acervos públicos e particulares no Rio de Janeiro, em São Paulo e Brasília. A segunda – “É tempo de falarmos de nós mesmos” – traz oito artigos escritos por ela entre 1974 e 1990, publicados em periódicos como Revista Cultura Vozes, Estudos Afro-Asiáticos, Afrodiáspora, Maioria Falante e Última Hora. Maria Beatriz Nascimento (Aracaju, 1942 – Rio, 1995) é historiadora, pesquisadora, poeta e ativista negra. Ao longo de vinte anos, tornou-se estudiosa das temáticas do racismo e dos quilombos, abordando ainda a correlação entre corporeidade negra e espaço e as experiências de longos deslocamentos socioespaciais de africanos/as e descendentes, por meio das noções de “transmigração” e “transatlanticidade”. O autor é antropólogo, geógrafo e professor da Universidade federal ed Goiás, além de pesquisador/ativista do campo das relações raciais, de gênero e socioespaciais.

Livro de Alex Ratts

Editora Imprensa Oficial do Estado de SP e Instituto Kuanza.

R$ 20,00

Published in: on outubro 28, 2007 at 10:26 pm  Deixe um comentário  

HISTÓRIAS DE QUILOMBOLAS: – Mocambos e comunidades de senzalas no Rio de Janeiro, século XIX

12318.jpg 

Em Histórias de quilombolas, Flávio dos Santos Gomes retrata o mundo interligado das senzalas e dos quilombos no Rio de Janeiro do século XIX. Resultado de pesquisa primorosa feita em arquivos policiais e judiciários, o livro descreve com detalhes as ligações dos quilombolas com grupos livres e com os cativos, mostrando como os fugitivos abalavam o equilíbrio das relações escravistas.
A primeira parte do livro conta como, no século XIX, os quilombos de Iguaçu, no recôncavo da Guanabara, resistiram à repressão das autoridades. Taberneiros, pequenos negociantes e escravos comerciavam com eles e os informavam sobre as expedições repressoras.
A segunda parte examina a “insurreição quilombola” de Manoel Congo, em Vassouras, em 1838, de que participaram cativos africanos e “crioulos” (nascidos no Brasil), trabalhadores, domésticos e lavradores – tanto homens como mulheres.
O final reúne histórias dos anos 1870 e 1880 que mostram como a crise de legitimidade do escravismo potencializou o movimento de libertação dos escravos.

Livro: Flávio dos Santos Gomes

Editora: Cia das Letras

R$ 55,50

Published in: on outubro 28, 2007 at 10:17 pm  Deixe um comentário  

NIKETCHE – Uma história de poligamia

11805.jpg 

Niketche conta a história de Tony, um alto funcionário da polícia, e sua mulher Rami, casados há vinte anos. Certo dia, Rami descobre que o marido é polígamo: tem outras quatro mulheres e vários filhos. As esposas de Tony estão espalhadas pelo país: em Maputo, em Inhambane, na Zambézia, em Nampula, em Cabo Delgado. Numa decisão surpreendente, Rami decide ir atrás das mulheres do marido.
O romance retrata a busca de Rami como uma incursão pelo desconhecido e uma tentativa de lidar com a diferença, simbolizada pelas amantes do marido. Niketche é uma das danças do norte de Moçambique, extremo oposto de onde mora Rami. Ritual de amor e erotismo, a dança é desempenhada pelas meninas durante cerimônias de iniciação.
Narrado em primeira pessoa por Rami, o livro alterna bom humor e lirismo. Neta de uma contadora de histórias, Chiziane herdou da avó o talento narrativo para construir histórias simples e envolventes sobre a vida cotidiana em seu país.

Literatura moçambicana

Livro de Paulina Chiziane

Editora: Cia das Letras

R$ 53,00

Published in: on outubro 28, 2007 at 10:08 pm  Deixe um comentário  

Luuanda – Estórias

12342.jpg 

As três narrativas aqui reunidas retratam a dura realidade dos musseques angolanos – os bairros pobres de Luanda, onde o próprio autor viveu. “Minha preocupação era ser o mais fiel possível àquela realidade. [...] Se a fome, a exploração, o desemprego, surgem com muita evidência [...] é porque isso era – digamos assim – o aquário onde meus personagens e eu circulávamos”, afirma Luandino.
E, dura realidade à parte, Luandino cria personagens memoráveis. Como “vavó” Xíxi e seu neto, que, sem trabalho e sem dinheiro, não dispensa a camisa florida ou o amor de Delfina, para desespero da avó (“Vavó Xíxi e seu neto Zeca Santos”). Ou o Garrido Kam’tuta, atormentado pelo papagaio que ganhava as carícias que Inácia lhe recusava (“Estória do ladrão e do papagaio”). Ou “nga” Zefa e sua vizinha, que disputam a posse de um ovo de galinha (“Estória da galinha e do ovo”).
Essas histórias curtas, narradas com grande maestria e um colorido muito especial, buscam na oralidade inspiração para recriar a linguagem e nos fazem lembrar da nossa própria trajetória literária.

Literatura angolana

Livro de José Luandino Vieira

Editora: Cia das Letras

R$ 39,50

Published in: on outubro 28, 2007 at 10:04 pm  Deixe um comentário  

Mapas

11361.jpg

Etíopes e somalis travam uma luta sangrenta pelo território de Ogaden, no extremo oriental da África. Em meio ao conflito, o jovem somali Askar, órfão de pai e mãe, é adotado por uma etíope. Criado de acordo com os valores das duas culturas em guerra, Askar divide-se entre o amor pela mãe de criação e o compromisso com o seu povo.

Livro de Nuruddin Farah

Editora: Cia das Letras

R$ 48,50

Published in: on outubro 28, 2007 at 9:59 pm  Deixe um comentário  

O HOMEM QUE NÃO PODIA OLHAR PARA TRÁS

52.jpg

Neste conto infanto-juvenil, Nelson Saúte, jovem e talentoso autor moçambicano, inspirou-se, para criá-lo, na história “O homem chamado Namarasotha”, contado a Elisa Fuchs por César Intupa, e inserido no livro “Contos populares moçambicanos”. Ilustrado por Roberto Chichorro, artista plástico moçambicano, a narrativa retrata a peregrinação de Abdala Mussa pelas terras da África.

Livro de Nelson Saúte

Editora: Língua Geral

R$ 34,00

Published in: on outubro 28, 2007 at 9:33 pm  Deixe um comentário  

Escravidão e Cidadania no Brasil Monárquico

0605.gif 

“(…) Hebe Maria Mattos recupera e reintroduz na memória nacional a presença de vários brasileiros negros que ocupavam posições de destaque durante o período monárquico. A autora apresenta, ainda, pequenas chaves para adentrarmos ao tema raça e desigualdade, foco de grande parte dos debates atuais no Brasil quando tratamos do tema exclusão social. (…) Para quem quer entender melhor o Brasil, o que significa entender-se um pouco mais, e compreender porque nossas instituições republicanas, às vezes, parecem esquecer o significado da palavra República, Escravidão e Cidadania no Brasil Monárquico constitui uma grande oportunidade.”

Livro de Hebe Maria de Matos

Editora: Jorge Zahar

R$ 22,00

Published in: on outubro 28, 2007 at 9:12 pm  Deixe um comentário  

Vista a minha pele

pele.jpg 

VISTA A MINHA PELE” é uma divertida paródia da realidade brasileira, para servir de material básico para discussão sobre racismo e preconceito em sala-de-aula. Nesta história invertida, os negros são a classe dominante e os brancos foram escravizados.

“VISTA A MINHA PELE” pretende colaborar com a discussão sobre discriminação no Brasil através de um produto atraente, com linguagem ágil e atores conhecidos do público alvo – adolescentes na faixa de 12 a 16 anos.

Roteiro de:  Joel Zito Araújo e Dandara

Duração: 28 Minutos

R$ 30,00

Published in: on outubro 28, 2007 at 8:53 pm  Deixe um comentário  

Negros e Política(1888-1937)

c0946.jpg 

Narrativas historiográficas cristalizaram a imagem do negro como pouco mobilizado e excluído dos processos de participação política. Esse livro, porém, apresenta várias organizações negras que surgiram no pós-abolição. Propondo políticas públicas e inserção institucional, elas dialogaram com setores da elite, discutindo os conceitos de cidadania e de nação nas primeiras décadas do século XX.

Livro de Flávio Gomes

Editora Jorge Zahar

R$ 22,00

Published in: on outubro 28, 2007 at 8:33 pm  Deixe um comentário  

Oya – um louvor à deusa africana

136372g.gif

Judith Gleason tem viajado incansavelmente para a África e o Caribe com o objetivo de pesquisar as tradições antigas e contemporâneas do povo iorubá. Neste livro ela faz uma combinação de arte, poesia, lendas e narrativa autobiográfica para revelar cada faceta de Oya – uma das deusas africanas mais dinâmicas e vitais – e o simbolismo feminino que ela representa.

Livro de Judith Gleason

Editora: Bertrand

R$ 53,00

Published in: on outubro 28, 2007 at 8:14 pm  Deixe um comentário  
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 38 outros seguidores