Adeus, Haiti

Em ‘Adeus, Haiti’, Edwidge Danticat, uma haitiana radicada nos EUA desde os 12 anos de idade, escreve as suas memórias. Confrontada com o nascimento de sua filha e com a doença terminal do pai, a autora relembra a sua vida no Haiti, o seu afastamento dos pais aos 4 anos de idade quando eles viajam aos EUA para ganhar a vida, a sua infância em Porto Príncipe, e as alegrias e tragédias que se abateram sobre a família.

Autora: Edwiges Danticat

Origem : Haiti

Editora: Agir

R$

 

Published in: on outubro 13, 2012 at 12:41 am  Deixe um comentário  

Encontro com o pensamento de Milton Santos: o homem e sua obra

Os textos presentes nesta publicação colocam ou recolocam na mesa de discussão os principais conceitos veiculados pela obra de Milton Santos e constituem mais uma contribuição para promover a difusão do seu pensamento. Milton Santos, ao redimensionar os caminhos teóricos e metodológicos da Geografia, não apenas propôs uma nova forma de entender o espaço em tempos de globalização, mas também inspirou estudos de fenômenos que desafiam o tempo presente e instigam o pensar sobre o futuro do mundo.

Autor(a): Maria Auxiliadora da Silva (Org.)

Editora: UFBA

R$ 20,00

Published in: on abril 10, 2012 at 3:03 pm  Deixe um comentário  

Mestre Bimba: corpo de mandinga

Mestre Bimba, com seu corpo de mandinga, tornou-se lenda no universo da capoeira e da cultura baiana. Conhecido entre capoeiristas de todo o mundo como uma das figuras mais importantes na história da luta, Bimba agora é retratado em corpo e alma por Muniz Sodré, seu amigo e discípulo e, também, um dos grandes mestres do estudo dos signos, escritor e pensador reverenciado em diversos países. Segundo o autor, “Mestre Bimba e sua capoeira foram, no conjunto, uma expressão da ironia objetiva do negro na Bahia, do negro no Brasil”. O capoeirista, o antropólogo e o semiólogo vão finalmente entender a lenda em que Bimba se transformou. Mas é ao leitor em geral que essa coleção se destina, e a ele está reservado todo o prazer desse jogo de linguagem sobre o jogo de corpo.
Organização da Coleção: Waly Salomão e Maria Vitória de Seixas Caldas

Autor: Muniz Sodré

Editora: Manati

R$ 40,00

Published in: on janeiro 2, 2012 at 4:29 pm  Deixe um comentário  

FELA: ESTA PUTA VIDA

FELA. Esta vida puta, de Carlos Moore, transcende a biografia. Reflete a franqueza e a coragem de seu biografado. A vida e a época deste músico global ajudam a nos lenbrar que os generosos e destemidos vivem as melhores vidas. O próprio Moore foi corajoso, ao lidar com uma pessoa tão problemática quanto Fela. E foi também generoso, ao colocar à disposiçãosua biografia, dando espaço à sua primeira esposa, Shawna. Ela teve liberdade para escrever e ilustrar um monólogo afro atlãntico centrado na voz imaginada de Funmilayo, a falecida mãe de Fela…

AUTOR: CARLOS MOORE

EDITORA: NANDYALA

R$: 35,00

 

 

 

 

Published in: on junho 6, 2011 at 12:36 pm  Deixe um comentário  

LÉLIA GONZALEZ

Obra que versa sobre a trajetória de vida, a produção intelectual e o ativismo político de uma das maiores lideranças do movimento negro brasileiro do século XX. Através da biografia de Gonzalez, os autores deixam entrever o processo de abertura democrática, revelando ainda a construção de identidade coletiva de segmentos excluídos da política nacional, notadamente os negros e as mulheres.

Esta obra faz parte da Coleção Retratos do Brasil Negro, coordenada por Vera Lúcia Benedito, mestre e doutora em Sociologia/Estudos Urbanos pela Michigan State University (EUA) e pesquisadora e consultora da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo. O objetivo da Coleção é abordar a vida e a obra de figuras fundamentais da cultura, da política e da militância negra.

AUTOR(A): ALEX RATTS E FLÁVIA RIOS

EDITORA: SELO NEGRO EDIÇÕES

PREÇO: 22,00

Published in: on maio 5, 2011 at 2:48 pm  Deixe um comentário  

Negras Líricas – Duas intérpretes negras brasileiras na música de concerto

São pouquíssimas as referências sobre a participação de mulheres negras na música erudita brasileira ao longo da História. Partindo de uma pesquisa rigorosa, Sérgio Bittencourt-Sampaio analisa a carreira de duas intérpretes negras de raro sucesso nessa área tão elitista: Joaquina Maria da Conceição Lapa (Lapinha) e Camila Maria da Conceição. Essas duas precursoras, distanciadas por exatamente um século, foram mulheres de notável determinação e obtiveram amplo reconhecimento – um belo exemplo de como a presença feminina negra foi capaz de se impor, através do talento, em meio a uma sociedade escravagista e patriarcal, vencendo um duplo preconceito: o de cor e o de gênero.

Livro de Sergio Bittencourt Sampaio

Editora 7 Letras

R$ 36,00

Published in: on dezembro 10, 2010 at 6:04 pm  Deixe um comentário  

Jackson do Pandeiro: O rei do ritmo

Fruto de oito anos de minuciosas pesquisas, esta biografia apaixonada do compositor de “Sebastiana” mostra a versatilidade rítmica, a maestria, a criatividade das composições e o carisma do “pai do forró”, que influenciou músicos brasileiros das mais diversas gerações, de Gilberto Gil a Lenine, passando por Alceu Valença, Moraes Moreira, João Bosco, Chico César, Cascabulho e Mestre Ambrósio, entre outros.

Livro de Fernando Moura e Antonio Vicente

Editora: 34

R$ 52,00

Published in: on agosto 5, 2010 at 10:43 pm  Deixe um comentário  

Guia Afetivo da Periferia

Ao evocar seu estado de deslumbramento, evidente no modo como mapeia a cidade, de Santa Cruz à Ipanema, Faustini traz à tona, neste livro, experiências que retornam através de acréscimos e subtrações decorrentes da passagem do tempo, além de construir uma ficção, ainda que escorada em fatos reais.

Livro de Marcus Vinicius Faustini

Editora: Aeroplano

R$ 30,00

Published in: on março 14, 2010 at 2:33 pm  Deixe um comentário  

TIA CARMEM : negra tradição da Praça Onze

“Pequena África”. Foi assim  que ficou conhecida a área entre o Cais do Porto e a Praça Onze, no Centro do Rio de Janeiro. Ali, Sinhô, João da Baiana, Tia Carmem, Tia Ciata, Tia Bebiana e muitas outras “tias” desempenharam suas lideranças culturais e religiosas junto à comunidade afrodescendente. Esse é um espaço onde as mulheres se sobressaem: em suas casas aconteciam cerimônias religiosas, rodas de samba e outras atividades culturais.
    Neste livro, Yara da Silva oferece um registro inesquecível de Tia Carmem do Xibuca, sua avó. Rememora aqui suas longas “prosas” com os mais diversos interlocutores, seus tabuleiros em que vendia quitutes para sobreviver, suas idas à Festa da Penha, seu dom para rezar crianças, a distribuição de doces nos dias 27 de setembro e suas reminiscências do carnaval carioca. Um vasto universo daquela que foi a última “tia” a manter nos limites de sua casa a “África em miniatura”.
    Ler cada capítulo dessa obra é conhecer um pouco mais da história recente do Rio de Janeiro e reafirmar a ancestralidade africana da sua população através da figura de Tia Carmem do Xibuca. Trata-se de um retrato cheio de vida e sabedoria das origens da cultura negra no Brasil.

Livro de Yara Silva

Editora: Garamond

R$ 35,00

Published in: on janeiro 10, 2010 at 11:01 pm  Deixe um comentário  

CAROLINA MARIA DE JESUS: uma escritora improvável

Negra, semi-analfabeta e favelada. Essa poderia ser a história de qualquer mulher brasileira das classes pobres se não fosse por um detalhe: a paixão de Carolina Maria de Jesus pela leitura e pela escrita. Joel Rufino, que declara sempre ter tido vontade de escrever sobre Carolina, chamou de “grafomania” essa grande paixão que a catadora de papel possuía pelas letras.
Carolina nasceu em Sacramento, Minas Gerais, e só estudou até o segundo ano primário. Já adulta, emigrou para São Paulo e foi morar na favela de Canindé. Ali começou a trabalhar como catadora de papel, função que realizou até o final de sua vida em 1977.
Dividida entre catar papel, cuidar dos filhos e escrever, Carolina publicou seu primeiro livro, Quarto de despejo, em 1960. Neste livro-diário, a autora relata a fome cotidiana, a miséria, os abusos e preconceitos sofridos por ela, seus filho e outros moradores da favela. Lançado em agosto, o livro teve 8 reimpressões no mesmo ano, com mais de 70 mil exemplares vendidos na época. Em seguida foi traduzido para 14 idiomas atingindo mais de 40 países. Até 2009, já foi vendido mais de um milhão de exemplares das obras escritas por Carolina.
Neste livro, Joel Rufino nos conta a vida de Carolina Maria entrelaçando-a com a história recente do Brasil com fortes reflexões sobre classe, sociedade, raça e escritura. Professor, historiador e escritor renomado, Joel se rende totalmente ao encanto das palavras de Carolina e diz: “Não conheço fórmula mais poética para dizer o valor da cultura, nas condições difíceis em que viveu e escreveu, do que a dela: – O meu sonho era viver cem anos para ler todos os livros do mundo.”.
Livro de Joel Rufino
Editora: Garamond
R$ 37,00
Published in: on janeiro 10, 2010 at 10:47 pm  Deixe um comentário  
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 35 outros seguidores