A REVOLUÇÃO ARGELINA

A luta do povo argelino contra o domínio da França foi uma das mais sangrentas guerras de independência contemporâneas, contabilizando centenas de milhares de mortos. Em A Revolução Argelina, obra publicada pela Editora Unesp, o pesquisador Mustafa Yazbek resgata tal realidade, injustificadamente marginalizada pelos historiadores, e incentiva o interesse por essa experiência de quase dez anos de batalhas.

A Argélia, situada no norte da África, representava para os franceses um pedaço de terra ocupada por tribos muçulmanas. O território foi anexado oficialmente pela França em 1865. Essa área sofreu um processo de colonização classificado como povoamento, atribuída aos pieds-noir (pés negros), colonos que ganhavam ou compravam terras dos nativos. Para militantes e críticos dessa apropriação francesa, porém, os nativos foram expropriados e afastados para as áreas mais improdutivas e desérticas do país.

A revolução nacionalista, que culminou na proclamação de independência de 1962, vitimou cerca de cem mil pessoas a cada ano de duração. Com a tomada de poder pela Frente de Libertação Nacional (FLN), iniciou-se um período de reconstrução e edificação de um país socialista. Não sem dificuldades, o país alcançou notáveis resultados em questões como reforma agrária, autogestão, nacionalização progressiva de bancos e grandes indústrias, entre outras conquistas sociais e culturais. A Argélia independente assumiu posição de relevo diante dos outros países do mundo islâmico norte-africano.

Yazbek narra o processo de revolução e também o período pós-guerra, destacando os novos desafios argelinos. O autor evidencia a necessidade de o país trabalhar em prol da superação de antagonismos internos religiosos, regionais e políticos, não superados mesmo após meio século de independência.

Sobre o autor – Mustafa Yazbek formou-se em História pela Universidade de São Paulo (USP). Dedicou-se à publicidade e ao jornalismo, já tendo sido repórter e articulista de vários jornais e revistas. Ingressou na área editorial em 1983, atuando como tradutor de textos em espanhol, editor de livros de arte e obras paradidáticas, autor de ficção, de livros paradidáticos de História e de literatura infanto-juvenil.

Sobre a Coleção Revoluções do Século 20 – A Revolução Argelina integra a Coleção Revoluções do Século 20, organizada e dirigida pela historiadora Emília Viotti da Costa, que já conta com vários títulos que oferecem um amplo quadro amplo das revoluções contemporâneas: A Revolução Alemã (1918-1923), A Revolução Boliviana, A Revolução Chilena, A Revolução Chinesa, A Revolução Colombiana, A Revolução Cubana, A Revolução Guatemalteca, A Revolução Iraniana, A Revolução Mexicana, A Revolução Nicaraguense, A Revolução Peruana, A Revolução Salvadorenha, A Revolução Venezuelana, A Revolução Vietnamita e As Revoluções Russas e o Socialismo Soviético.

AUTOR:MUSTAFA YAZBEK

EDITORA:UNESP

R$: 20,00

Published in: on agosto 9, 2011 at 1:10 pm  Deixe um comentário  

ESTAMOS JUNTOS O MPLA E A LUTA ANTICOLONIAL VOL I

Este livro aborda a trajetória do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), desde a sua opção pela luta armada (1961) até a assinatura do cessar fogo com os militares portugueses (1974). São enfatizados os momentos de dissidência que tiveram lugar no seio do movimento e os diferentes fatores que intervieram nessas crises.

EDITORA: KILOMBELOMBE

AUTOR: MARCELO BITTENCOURT

PREÇO: 40,00

Published in: on junho 3, 2011 at 5:48 pm  Deixe um comentário  

Cacimbo. Uma Experiência em Angola

Cacimbo é o estio. Estação sem chuvas em Angola, que se estende de maio ao fim de agosto. O “caximbo”, como pronunciam os angolanos, torna-se um estado d’alma. Secura, poeira que tudo impregna e uma profunda saudade. Este livro, na linguagem de um jornalismo-literário tipicamente baiano, retrata as heranças e dessemelhanças entre Luanda e Salvador, cidades fêmeas, filhas das águas, captadas no cacimbo de 1998: Angola é avó da Bahia e dengo tem origem banto–quimbundo, resume o autor. São quase reportagens, quase poemas, como assim se mostra o imbudeiro (baobá) – árvore símbolo de Angola, de raízes profundas, tronco largo e ramagem rala. Seus galhos restam desfolhados, ressequidos e empoeirados durante o cacimbo, como a paisagem, as coisas, os entes…  Angolanos tempos. 

Livro de José de Jesus Barreto
Editora: Solisluna
R$ 29,90
Published in: on janeiro 3, 2011 at 4:49 pm  Deixe um comentário  

ATLÂNTICO SUL XXI:ÁFRICA AUSTRAL E AMÉRICA DO SUL NA VIRADA DO MILÊNIO


Trata-se de uma coletânea composta de cerca de dez ensaios abordando as realidades de vários países dos dois lados do Atlântico Sul. O livro é dividido em três partes - 
pensamentos, economia e sociedade.

Os textos que compõem este livro foram elaborados entre 1998 e 2002, com algumas atualizações no final de 2004. Seu objetivo inicial era  analisar a conjuntura  de 
quatro países dos dois lados do Atlântico Sul que se aproximavam em termos econômicos e culturais. A data de publicação e a rapidez com essas aproximações evoluíram dão ao 
trabalho um perfil de história econômica e social imediata.
Livro de Jonuel Gonçalves(org.)
Editora: Unesp
R$ 42,00
Published in: on março 14, 2010 at 2:39 pm  Deixe um comentário  

África Negra: História e Civilizações – Tomo 1 (até o século XVIII)

Este volume I da África Negra: História e Civilizações cobre o período menos conhecido da história africana e um dos mais difíceis de abordar. Ver-se-á neste livro que, longe de estar recheado apenas com as continuidades, este tempo longo do passado africano foi talvez, em primeiro lugar, o das invenções contínuas, sob a forma de uma incessante bricolagem, de laboriosas adaptações ou de rupturas radicais.

Livro de Elikia M’Bokolo

Editora: Casa das África e EDUFBA

R$ 54,00

Published in: on novembro 22, 2009 at 9:21 pm  Deixe um comentário  

Afrocentricidade: Uma abordagem epistemológica inovadora – Coleção Sankofa – Volume 4

40026

Esta antologia reúne textos de estudiosos e ativistas da abordagem afrocentrada. Apresenta a postura básica dessa linha de pensamento e seus fundamentos teóricos, bem como reflexões e levantamentos sobre sua presença no Brasil, acompanhados de trabalhos sobre temas específicos como: psicologia, a mulher afrodescendente, assistência social e educação multicultural.

Livro de Elisa Larkin Nascimento

Editora Selo Negro

R$ 70,00

Guerreiras de natureza: Mulher negra, religiosidade e ambiente – Coleção Sankofa – Volume 3

40034

A mulher negra conquistou seu espaço na sociedade por meio de grandes lutas, testemunhadas neste volume por lideranças e pensadoras como Lélia Gonzalez, Sueli Carneiro, Hédio Silva Jr. e Helena Theodoro. A tradição religiosa afro-brasileira valoriza o papel da mulher e reúne uma sabedoria guardada por ela como protagonista da vida de sua comunidade. A tradição dos orixás cultiva uma rica e dinâmica relação com a natureza, antecedendo por milênios a repentina preocupação do Ocidente atual sobre o meio ambiente. Com apresentação de Mãe Beata de Yemonjá e ensaios de Dandara, Nei Lopes e Aderbal Moreira Axogum, entre outros, este volume explora as diversas implicações dessa tradição para a interação do ser humano com as forças da natureza. No processo, elucida várias dimensões do impacto negativo da intolerância religiosa na sociedade contemporânea.

Livro de Elisa Larkin Nascimento

Editora Selo Negro

R$ 55,00

Cultura em movimento:Matrizes africanas e ativismo negro no Brasil – Coleção Sankofa – Volume 2

40033

Tratando do legado cultural e da tradição de resistência dos descendentes de africanos no Brasil, este volume reúne ensaios e depoimentos sobre várias dimensões e aspectos. Nei Lopes e Beatriz Nascimento trazem uma perspectiva sobre o legado dos ancestrais bantos e malês; Elisa Larkin Nascimento, Joel Rufino e Abdias Nascimento, assinando pelo Conselho Deliberativo do Memorial Zumbi, esboçam uma pequena história das lutas afro-brasileiras do século XX. A questão da educação no Brasil como tema fundamental da vida e da luta dos afro-descendentes é tema de relatórios de fóruns de educadores que a abordam no seu aspecto teórico e prático. Três educadoras – Vera Regina Triumpho, Silvany Euclêncio e Piedade Marques – trazem depoimentos ricos sobre a sua experiência com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, modificada pela Lei nº 10.639 de 2003.

Livro de Elisa Larkin Nascimento

Editora Selo Negro

R$ 61,00

A Matriz africana no mundo: Coleção Sankofa – Volume 1

400321

Neste volume ilustrado, Elisa Larkin Nascimento faz um resumo da pesquisa pioneira de Cheikh Anta Diop e seus seguidores, que comprovam a influência da matriz negro-africana em todo o mundo, desde a Antigüidade até os tempos modernos. O escritor ganense Michael Hamenoo, bem como os angolanos Francisco Romão de Oliveira e Ismael Diogo da Silva, contribuem com análises do legado colonial e da África contemporânea. Elisa Larkin Nascimento e Carlos Moore Wedderburn apresentam uma visão geral das lutas pan-africanas na África e na diáspora americana. Anani Dzidzienyo aborda a questão das relações internacionais entre África e diáspora, focalizando o Brasil.

Livro de Elisa Larkin Nascimento

Editora Selo Negro

R$ 55,00

A África na sala de aula

40031

Uma visão clara e abrangente da África contemporânea, que reúne questões polêmicas sobre o domínio europeu e a diversidade das lutas contestatórias até a formação dos Estados nacionais. Com rica pesquisa cartográfica, a obra interessa aos estudiosos de história, geografia, antropologia, ciência política e sociologia.
Edição revista.

Livro de Leila Leite Hernandez

Editora Selo Negro

R$ 99,00

Published in: on abril 27, 2009 at 4:13 pm  Deixe um comentário  
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 37 outros seguidores