SEUS OLHOS VIAM DEUS

Aclamado como o mais belo romance da literatura negra norte-americana de sua época, SEUS OLHOS VIAM DEUS descreve a trajetória de Janie Crawford, uma heroína afro-americana que enfrenta o tabu de escolher seu próprio destino, na Flórida da década de 1930. Hurston não escreve, especificamente, sobre a discriminação num mundo dominado por brancos – o que lhe rendeu algumas críticas dos ativistas pelos direitos dos negros -, mas é perfeita na construção da tensão dos relacionamentos.
O uso de dialetos e palavras africanas em SEUS OLHOS VIAM DEUS atraiu para a escritora o ódio de outros autores negros, que a acusavam de uma atitude paternalista em relação aos brancos. Para estes, Hurston concedia aos brancos os estereótipos culturais negros esperados pela elite dominante. A escritora, que chegou a merecer dois prêmios Guggenheim na década de 1940, foi praticamente ignorada após o início dos anos 50, mesmo pelo movimento Arte Negra dos anos 60. Anos mais tarde, no entanto, o talento literário de Zora foi reconhecido entre seus pares e a admiração tomou o lugar da revolta por diferentes visões político-raciais.
SEUS OLHOS VIAM DEUS acompanha o retorno à terra natal, depois de uma longa ausência, de Janie Crawford. Seus compatriotas, principalmente as mulheres, são feias e inamistosas, sempre fofocando, engalfinhadas em cochichos nas portas de suas casas. O tópico predileto é Janie e suas aventuras amorosas: casada aos 12 anos com um homem muito mais velho – e muito mais rico -, por intervenção da avó, ela foge em busca de um caminho próprio.
A heroína de SEUS OLHOS VIAM DEUS incorpora o inconformismo com o status quo. Uma revolta contra o que se espera de uma mulher, pobre e negra. Ela denuncia de forma equilibrada e crítica a violência contra as mulheres em geral, e as negras em particular. Casada três vezes e acusada de matar um de seus maridos, Janie Crawford atrai para si a inveja das mulheres e o ódio dos homens. A miríade de emoções que a volta da filha pródiga causa nos moradores da pequena cidade nos confins da Flórida leva Janie a tentar se justificar, abrindo seus segredos para a amiga Pheoby.

Zora Neale Hurston nasceu em Eatonville, na Flórida em 1891, e morreu em 1960 em Fort Pierce. Integrou o Movimento de Renascença do Harlem, movimento da cultura negra e literária na Nova York dos anos 20. É autora dos romances Jonah”s Gourd Vine, Tell my Horse, Mules and Men e Dust Tracks on a Road, de vários contos, dois musicais, livros sobre mitologia negra e dezenas de ensaios.

“Não há livro mais importante do que esse.”
Alice Walker, autora de A cor púrpura

“Há uma bela simetria entre texto e contexto no caso de Seus olhos viam Deus: o livro afirma e celebra a cultura negra (…).”
Mary Helen Washington, crítica literária, ensaísta, professora da Universidade de Maryland

Livro de Zora Neale Hurston

Editora: Record

R$ 33,90

Anúncios
Published in: on junho 7, 2007 at 2:19 pm  Deixe um comentário  

The URI to TrackBack this entry is: https://kitabulivraria.wordpress.com/2007/06/07/seus-olhos-viam-deus/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: