Quem me dera ser onda

quem-me-big.gif

Quando Pai Diogo traz ao edifício onde mora um leitão, o administrador do prédio quase tem um ataque. Segundo o mesmo, no local são permitidos apenas os animais de estimação “convencionais”: Cachorro, gato ou passarinho. Qualquer outro animal, como galinha, cabrito ou porco, só entra como alimento. Diogo ignora os apelos do administrador e leva o pequeno porco à casa, com o intuito de engordá-lo bastante para aí então se livrar da mesmice que é comer peixe todo dia.
Zeca e Ruca, filhos de Diogo, se empolgam com a idéia de uma nova “linha alimentar” na casa e começam a cuidar do porco, a quem dão o nome de “carnaval” (que será a época onde o pobrezinho será sacrificado). A duras penas as duas crianças conseguem esconder o animal do restante dos vizinhos e do insistente administrador, o que acaba gerando um punhado de histórias que fazem enorme sucesso entre os amigos de colégio. Zeca e Ruca passam a tratar “carnaval” não apenas como um animal de engorda, mas como um de estimação, criando um laço de amizade forte entre os três.

Livro de Manuel Rui

Origem: Angola

Editora: Gryphus

R$ 17,00

Anúncios
Published in: on janeiro 6, 2008 at 11:51 am  Deixe um comentário  

The URI to TrackBack this entry is: https://kitabulivraria.wordpress.com/2008/01/06/quem-me-dera-ser-onda/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: