A REVOLUÇÃO ARGELINA

A luta do povo argelino contra o domínio da França foi uma das mais sangrentas guerras de independência contemporâneas, contabilizando centenas de milhares de mortos. Em A Revolução Argelina, obra publicada pela Editora Unesp, o pesquisador Mustafa Yazbek resgata tal realidade, injustificadamente marginalizada pelos historiadores, e incentiva o interesse por essa experiência de quase dez anos de batalhas.

A Argélia, situada no norte da África, representava para os franceses um pedaço de terra ocupada por tribos muçulmanas. O território foi anexado oficialmente pela França em 1865. Essa área sofreu um processo de colonização classificado como povoamento, atribuída aos pieds-noir (pés negros), colonos que ganhavam ou compravam terras dos nativos. Para militantes e críticos dessa apropriação francesa, porém, os nativos foram expropriados e afastados para as áreas mais improdutivas e desérticas do país.

A revolução nacionalista, que culminou na proclamação de independência de 1962, vitimou cerca de cem mil pessoas a cada ano de duração. Com a tomada de poder pela Frente de Libertação Nacional (FLN), iniciou-se um período de reconstrução e edificação de um país socialista. Não sem dificuldades, o país alcançou notáveis resultados em questões como reforma agrária, autogestão, nacionalização progressiva de bancos e grandes indústrias, entre outras conquistas sociais e culturais. A Argélia independente assumiu posição de relevo diante dos outros países do mundo islâmico norte-africano.

Yazbek narra o processo de revolução e também o período pós-guerra, destacando os novos desafios argelinos. O autor evidencia a necessidade de o país trabalhar em prol da superação de antagonismos internos religiosos, regionais e políticos, não superados mesmo após meio século de independência.

Sobre o autor – Mustafa Yazbek formou-se em História pela Universidade de São Paulo (USP). Dedicou-se à publicidade e ao jornalismo, já tendo sido repórter e articulista de vários jornais e revistas. Ingressou na área editorial em 1983, atuando como tradutor de textos em espanhol, editor de livros de arte e obras paradidáticas, autor de ficção, de livros paradidáticos de História e de literatura infanto-juvenil.

Sobre a Coleção Revoluções do Século 20 – A Revolução Argelina integra a Coleção Revoluções do Século 20, organizada e dirigida pela historiadora Emília Viotti da Costa, que já conta com vários títulos que oferecem um amplo quadro amplo das revoluções contemporâneas: A Revolução Alemã (1918-1923), A Revolução Boliviana, A Revolução Chilena, A Revolução Chinesa, A Revolução Colombiana, A Revolução Cubana, A Revolução Guatemalteca, A Revolução Iraniana, A Revolução Mexicana, A Revolução Nicaraguense, A Revolução Peruana, A Revolução Salvadorenha, A Revolução Venezuelana, A Revolução Vietnamita e As Revoluções Russas e o Socialismo Soviético.

AUTOR:MUSTAFA YAZBEK

EDITORA:UNESP

R$: 20,00

Anúncios
Published in: on agosto 9, 2011 at 1:10 pm  Deixe um comentário  

The URI to TrackBack this entry is: https://kitabulivraria.wordpress.com/2011/08/09/a-revolucao-argelina/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: